sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

Medos e incertezas de minha alma...


Eu não sei mais o que dizer da falta que sinto de você,
as palavras tem se ausentado de mim,
porque sua ausência me castiga sem dó.
Tenho tanto medo das emoções que me torturam a cada dia,
e me sinto tão sozinha e pequena demais.
As vezes penso como seria um dia inteiro ao seu lado,
acordar e ao abrir dos meus olhos ter seu rosto bem junto ao meu.
Poder esticar minhas mãos e tocar sua face e olhar bem dentro de seus olhos.
Tenho me cansado do sofrer, das noites vazias do meu ser e
tenho tanto medo de um dia acordar e não ver mais você
De não te achar mais em mim, nem em meio as minhas lembranças,
nem mesmo no meu jardim.
Não sentir mais seu perfume e te perder,
tenho tanto medo de deixar de amar você.
(Simone Prado)

eduardo maria nunes

Esta vida é como um carrossel,
Tantas voltas dá até parar
O pintor pinta com o pincel
Nas colmeias fabricam o mel
As abelhas num vai e vem sem parar.

Com a esperança continua a beleza!
Na vida tudo vale, na vida tudo acaba
Penso eu não tenho a certeza
Coisa doce não amarga,

6 comentários:

  1. Lindo esse amor que dá medo perder...bjs, tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
  2. Em primeiro lugar, adorei a imagem dos cisnes que escolheu. Belíssima. Sobre o poema, sei bem o que é sentir-se pequenina e impotente perante algo (não necessariamente um amor) e você transportou esse sentimento na perfeição para o poema. Parabéns!
    Beijinho, um doce fim-de-semana
    Ruthia d'O Berço do Mundo

    ResponderExcluir
  3. Estão sempre a nascer!
    Amor, alegria é felicidade
    Nunca te irás aborrecer
    Porque amas de verdade.

    Muita chuva e frio, em Portugal,
    No Brasil está muito calor
    Desejo para você fim de semana especial
    Com muita saúde, paz e muito amor.

    Eu, fico aqui no frio,
    Encolhido junto da lareira
    Embrulhado na capa do tio
    Prometo não fazer asneira.

    Esta vida é como um carrossel,
    Tantas voltas dá até parar
    O pintor pinta com o pincel
    Nas colmeias fabricam o mel
    As abelhas num vai e vem sem parar.

    Com a esperança continua a beleza!
    Na vida tudo vale, na vida tudo acaba
    Penso eu não tenho a certeza
    Coisa doce não amarga,

    Um beijo para ti amiga Simone Prado.
    Eduardo.

    ResponderExcluir
  4. Imagem linda demais, amiga Simone. Passando por aqui para agradecer tua visita ao meu modesto espaço. Desejo-te um lindo fim de semana.

    ResponderExcluir
  5. Lindíssima poesia, Simone Prado! Meu Deus, será que nunca se para de sofrer, pobre coração eternamente atormentado. Sofresse de solidão, sofresse de incerteza, padece-se de ciúme, de insegurança, sofresse por medo de ficar só. Amar é sofrer. Mas, quando se ama, mesmo sofrendo, a gente é feliz. A propósito, a imagem escolhida também é belíssima, salta aos olhos, digna do poema.

    http://apoesiaestamorrendo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. No silêncio deste dia venho pedir-te paz,
    sabedoria e força .
    Quero olhar hoje o mundo com olhos
    cheio de amor, ser paciente, compreensiva, mansa e prudente,
    ver além das aparências teus filhos como Tu mesmo os vês e,
    assim, não ver senão o bem em cada um.
    Que só de bênçãos se encha meu Espírito.
    Que eu seja bondosa e alegre a todos
    quantos se achegarem a mim .
    Reveste-me de Tua beleza, Senhor, e que,
    no decurso deste dia, eu Te revele a todos.
    desejo uma paz infinita para seu coração.
    Uma continuação de semana abençoado.
    Com muito carinho deixo aqui meu abraço.
    Na postagem deixei um mimo.
    E no caso de você aceitar
    tenha certeza ficarei feliz.
    Evanir..

    ResponderExcluir