sábado, 6 de setembro de 2014

algumas certezas pelo caminho

 Com certeza as coisas mudam, pessoas mudam, sentimentos mudam, pensamentos também. Com certeza vamos amadurecendo com os erros e aprendendo a levantar e cair de novo e levantar novamente tantas vezes forem preciso. Quantas vezes amei e odiei, quantas vezes perdi e encontrei e nessa luta constante de um ser tão errante vou me despedindo de coisas e pessoas e vou conhecendo outras novas. Mantendo as que preciso pra fazerem parte dos personagens da minha história. Não há letras sem vida e nem vida sem letras. (Simone Prado)

sexta-feira, 8 de agosto de 2014

Cuidado com os humanos....


Cada vez que olho um olhar acho mais difícil confiar, caráter destorcido sabe fingir tão bem. 
Me pergunto: que ponto a humanidade chegou? Nos seus próprios conceitos de dor? Na sua própria razão de se defenderem do que acham ser inimigos? Humanos que querem se dar bem procurando sempre vantagens em cima de seus semelhantes. Eu tinha uma noção tão diferente do ser humano: que todos eram bons e poderia usar  a sinceridade acima de tudo, mas hoje descobri que estamos em meio há batalhas humanas constantes. Nunca sabemos quem é o inimigo a nossa frente ou se poderá ser um amigo. Primeiro apontamos as armas, estudamos a suposta fera, farejamos, testamos....pra depois abaixarmos a guarda e possivelmente um abraço de boas vindas.  Primeiro apontamos  a defesa pra depois darmos uma rosa, porque o mundo se tornou uma guerra invisível onde integridade, pureza, carinho não se dá há qualquer um que chega. Hoje tornou-se uma conquista o que antes era dado livremente. Aquele que se fizer merecedor ai vamos abaixando a guarda, como animal assustado não se confia mais em qualquer demostração de afeto ou em palavras macias. O medo, a descrença, a falta de confiança....no ser humano a cada dia fica em extinção. Tentam preservar a natureza em suas campanhas ideológicas, seus animais, sua fauna e flora...mas o ser em extinção somos nós. As vezes penso: não é esperar o fim do mundo, mas olharmos a raça humana, a degradação de caráter. A falsidade, a mentira, a hipocrisia, a esperteza cada vez mais crescente  onde  cada vez nos fechamos mais e mais e passarmos a sermos bons avaliadores de pedras preciosas. Achar um humano humano hoje é raridade!!! Ainda vou crendo que a raça não foi extinta ainda, e que possamos reverter esse mal que assola a humanidade, que corrompe o meio, que massacra, que fere. Vou tentando não me tornar um desses, e muitos sei que ainda tentam sobreviver nas suas integridades, resguardando suas purezas, seu amor...porque amar o nosso semelhante se tornou tarefa bem difícil nesse mundo. Mas vamos tentando manter vivos os reais valores que dão sentido a vida, onde a cada dia vejo gente se tornando animal e animal se tornando gente. (Simone Prado)




quarta-feira, 6 de agosto de 2014

Uma corridinha por SIMONE PRADO


Há 45 anos tenho corrido nessa vida, ainda não sei quando vou parar...ou quando voltarei pra casa...encontrei pessoas no caminho que me seguiram e quando eu dei por mim eu era uma Lider, mas como sou humana muitas vezes mudei meu rumo e elas se decepcionaram e seguiram outros lideres. Encontrei pessoas que se espelharam em mim, outras que correram em minha frente e me deixaram pra trás sem mesmo me olhar, outras que correram ao meu lado e me deram a mão quando meus passos cansaram, outras que enxugaram minhas lágrimas, outras que me abraçaram e me disseram: vai continua a corrida, vc chegará lá. Até hj vou correndo sem saber ao certo onde vou chegar ou onde essa estrada vai dar, mas sei que não posso parar e nem tentar voltar pro ponto de partida. Algumas vezes há buracos, até merdas, até precipicio sem saida e quando chego até esses eu descobri que tenho asas pra voar.....e ai vai....e ai vai.. (SImone Prado)
Forrest Gump - uma corridinha

domingo, 6 de julho de 2014

MARES DE ILUSÕES...por Simone Prado


Já passei por mares de ilusões
já acreditei em palavras falsas
já fiz papel de tola,
quantas vezes...e quantas vezes mais...
Hoje já não me envergonho de acreditar em gente que se diz inocente,
mas as vezes me envergonho de também ser gente diante de algumas atrocidades humanas.
A decepção já não me abala, talvez me neutralize nas profundezas de minha alma cansada.
Sinto que há tempo pra tantas coisas, porém pra muitas já não há mais tempo...
já não tenho grandes sonhos, me tornei um sonho andante...
as vezes meio ambulante perdida em minhas emoções.
Sou somente um verbo ou um ponto em meio há tantas frases desconexas DA  MINHA VIDA.
Fui alma ferida num vale errante que gemia em meio há sorrisos desconsertantes.
Não sou mais como antes, nem acho em mim a menina sonhadora que pensava ter asas, que queria voar,
hoje de asas cortadas podadas em grandes saltos, esfareladas em quedas repentinas,
 não encontro mais a  menina. Tornei-me adulta demais, das brincadeiras já não me lembro, nem das cirandas e nem das cantigas, apagou-se etapas da minha vida no mar das ilusões.  (Simone Prado)

quarta-feira, 18 de junho de 2014

saudade

Hoje sonhei com vc, há tempos não sonhava. Foi 

tão real, e ao amanhecer me trouxe lágrimas


sem querer. Foi a saudade que chegou de 


repente e não tive como não sentir a sua 


falta. No sonho vc pensou que eu te esqueci


 e cabisbaixo ia embora, mas ai te chamei e vc


 voltou e me abraçou e seus lábios pude 


sentir. Acordei e vc não estava aqui. Um dia 


ainda vou te reencontrar, seja o tempo que 


levar e como sempre vc vai saber, que sempre  


amei e nunca vou te esquecer. (Simone Prado)

sábado, 7 de junho de 2014

Tem dia que a tristeza corrói os trapos da alma,
como traça e nem sabemos explicar o porquê....
faz do coração um fiapo de linha de onde se desmancha
o tapete bordado no peito.
(Simone Prado)


segunda-feira, 26 de maio de 2014

ah....eu não quero promessas vãs e nem meias 

verdades...quero apenas realidades contidas em 

mim....quero o abraço apertado, o olhar encantado

 deixando te pedir: não vá embora, não me deixes partir. 

(Simone Prado)





sábado, 26 de abril de 2014

o tempo...

O tempo...
Sempre me entristeço  porque a vida não tem todo o tempo do mundo, e tudo que me deparo parece que tem todo o tempo pra acontecer. As pessoas não entendem que o tempo que se perde com coisas pequenas esse mesmo tempo faltará no final da estrada. Hoje corro contra o tempo pra recuperar todo o tempo que já perdi, por isso sou ansiosa porque sei o valor que tem o tempo. Então por que se perde tanto tempo pra deixar acontecer? O que desejo é somente viver com qualidade de tempo.(Simone Prado)

quinta-feira, 24 de abril de 2014

Trilhas

Eu queria ter a sua foto bem junto a minha, provar seus 

sabores, ouvir todos os

 dias a sua voz. Queria que o som do seu riso fosse

como paladar aguçado, seu

sorriso sedutor misturado ao meu . Queria que não

importasse as horas, que sem 

pressa pra irmos embora me pedisse pra ficar. Ficar sem

tempo cronometrado, deixar

 o tempo nos levar, levar há alguns picos, há algumas

estradas sem hora pra voltar. 

(Simone Prado)

quarta-feira, 23 de abril de 2014

Opiniões alheias...RELFEXÃO por Simone Prado

Estive pensando:

...  por que nos preocupamos tanto com opiniões alheias, por que sempre queremos agradar, ser bem quistos pela sociedade e desde de jovens nos auto afirmar?
...por que essa necessidade interna que nos coloca a merce de opiniões que em determinados momentos de nossas vidas são tão importantes?
...Jesus Cristo não foi aceito por todos, não agradou a todos e veio por todos...mas aqueles que o aceitaram e aceitam são reconhecidos por Ele como filhos herdeiros. (Rom 8;17).
...por que esses pré julgamentos sobre nossa pessoa, nosso caráter, nossa índole nos afetam tanto?
...por outro lado há um lado hiper positivo de tentar nos melhorar como pessoa diante de nós mesmos...isso é construtivo...mas nos magoarmos e nos deixamos abater por opiniões alheias nos deixa doentes...passamos uma boa etapa da vida querendo agradar a outros e esquecemos de ser nós mesmos...esquecemos que somos apenas pessoas e não máquinas num mundo de regras, de etiquetas de sepulcros caiados...(Simone Prado)


terça-feira, 25 de março de 2014

Nem tudo que reluz é ouro...

Alguns insetos são atraídos pela luz da 

lâmpada e pelo seu calor, mas essa atração 


os impedem de 


 enxergar aquilo que os atrai deixando- se 


confundirem. Muitas vezes acabam morrendo


e assim são


 os humanos, são atraídos pelo que eles 


acham serem coisas boas no entanto estão 


cegos.  



Quantas vezes não enxergamos 


determinados perigos


porque estamos simplesmente encantados 


por uma 


luz que parece verdadeira e é apenas 


artificial, brilha por fora apenas. Ao contornar 


a luz 


repetidamente ficamos confusos e não 


conseguimos enxergar o que está logo na 


nossa frente pois 


somos acometidos de uma cegueira 


espiritual...nem tudo que reluz é ouro...já se 


diz o velho ditado 


popular...(Simone Prado)




segunda-feira, 3 de março de 2014

JOIA RARA

Com o passar do tempo aprendi  a me levantar sempre,
uma questão de sobrevivência.
Força?
Acho que não, talvez uma estratégia para não voltar ao fundo do poço,
onde sei que é tão penoso sair.
Aprendi a engolir meu choro,
a colocar uma couraça em meu coração,
falando pra ele: Calma, não se abate não.
Ainda que as teimosas lágrimas tentem cair e até consigam pela minha face escorrer,
a cabeça tá erguida pra não se abater.
O respirar fundo e dizer: mais uma vez, só mais uma vez...
Sacudir a poeira dos pés, olhar para frente, e pensar...lá vamos nós de novo.
Nunca perdendo o meu sorriso, mesmo que a alma esteja destroçada,
mas a força que emana do meu interior em saber que só recebe uma joia preciosa,
quem tem a sensibilidade de apreciar o seu valor.
(Simone Prado)

sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Inocencia.



Hoje posso tocar, no que antes era só sonhar.
Hoje posso sentir e deixar meus lábios sorrirem.
Você veio simples trazendo contigo a esperança.
Lembramos juntos dos tempos de criança,
das brincadeiras engraçadas que pareciam piadas.
Palavras que foram proferidas no começo de nossas vidas,
e que hoje se renovam e quem sabe venham a se cumprirem.
Você trouxe contigo a pureza e nela a beleza,
desanuviou as nuvens pesadas de um céu nublado,
juntos com jeitinho meio safado.
Não pensei duas vezes e quis agarrar a realidade,
bani fora os medos e me lancei,
fiquei com receio de perder a verdade.
Amanhã não sei como vamos estar,
mas te agarrei pra não te deixar passar.
Vem comigo viver,
esquecer as lágrimas e o que nos fez sofrer.
Sentir sua presença e me permitir simplesmente VIVER.
(Simone Prado)

Obrigada vó e vô por serem os arquitetos desse monumento que veio pra abalar as minhas estruturas...rsrsr

terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

Ao cheiro das Águas...






O coração se regenera e se renova e ama de formas diferentes e nenhuma delas  deixa de ser verdadeiro.

As flores dão sementes, dãos seus frutos, dão suas flores, depois murcham e morrem até surgir um outro botão e uma nova flor.
Somos pertencentes a natureza e como ela nos renovamos, ainda que muitas vezes pareça não ter recomeço e que tudo chegou ao fim.
Há sempre uma nova oportunidade quando abrimos o coração pra receber o melhor que a vida tem pra cada um de nós. (Simone Prado)

 "Se envelhecer na terra a sua raiz, e o seu tronco morrer no pó,

Ao cheiro das águas brotará, e dará ramos como uma planta.

Porém, morto o homem, é consumido; sim, rendendo o homem o 


espírito, então onde está ele?

Como as águas se retiram do mar, e o rio se esgota, e fica seco,


Assim o homem se deita, e não se levanta; até que não haja mais


céus, não acordará nem despertará de seu sono.

Jó 14:8-12

sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

Momentos...



Já cansei de tanta dor,
de tanta nostalgia,
de tantas humilhações de esmolas dadas do tempo.
MOMENTOS são plenitudes que nos levam além de nós.
Sou como pássaro sem asa que voa a me buscar,
se me der um pouso tranquilo e águas pra bailar.
Já busquei o mundo mas não o encontrei nas coisas perfeitas,
achei refúgio nas imperfeitas e em meio a simplicidade.
Fui afagada em meio ao tormento,
conflitos de pensamentos que não me levaram a lugar algum.
Já me senti tão pequena, tão frágil num corpo inseguro,
mergulhada no escuro dentro de mim.
Hoje pousei numa terra que nunca pisei,
e me sinto descançar,
talvez recuperando forças para um novo voar.
(Simone Prado)

domingo, 16 de fevereiro de 2014

PARTIU? EU NÃO SEI!

Para o sofrimento há o limite,
para o descaso há o desamor,
para o egoismo há a amargura,
do que um dia chamamos de AMOR.
Assim se abrem as feridas,
 em meio ao abandono,
das palavras outrora esquecidas,
dos relatos da paixão.
Um dia acordei, e não te encontrei.
PARTIU? Eu não sei!
(Simone Prado)

sábado, 15 de fevereiro de 2014

Inércia

Após grandes descargas de sofrimento interno nas emoções,
grande carga de pressão psicológica talvez a inércia seja um escape humano.
É como se o cansaço mental fizesse o corpo a ter essa reação.
Tipo: Não importa mais o que vier, tanto faz como tanto fez.
É mais ou menos esse pensamento.
Frieza, torpes, descaso, que nada mais é que um grande cansaço físico e mental.
É não se importar mais, é não ser mais escravo de si mesmo, num processo obsessivo de pensamentos.
Então um belo dia você acorda e não sente mais o mesmo amor, a mesma paixão, as mesmas lembranças...
Primeiro pensamento: estou curado!
Mas logo após: uma tristeza por não sentir mais o mesmo amor.
O que era doce e puro e sincero, já não está mais ali, ou será que está? Talvez adormecido de tantas lutas e conflitos, será que um dia acordará?
Ou se foi para sempre?
Talvez seja melhor assim, esquecer você dentro de mim.
A saudade não é mais como um punhal cravado no peito, mas a sensação de abandono é real.
Coisa que o tempo deve entrar como um aliado.
E o beijo agora tem um gosto tão amargo, tão frio...será o FIM?
...ou apenas amargura que afoga você em mim?
...e vou caminhando solitária mergulhada na solidão da minha alma...uma sensação de alivio de não sentir mais angustia, mas agora a apatia e o sorriso que me falta...
(Simone Prado)


domingo, 9 de fevereiro de 2014

Preparada pra matar.....de amor....

Eu resolvi lutar,
sair da zona de conforto e me lançar.
Resolvi expor meu coração,
resolvi me levantar do chão.
Resolvi guerrear,
cingir meus ombros para o bom combate,
não me acovardar, ir até o fim,
conquistar você pra mim.
Minha meta; seu coração,
deixar de lado um pouco a razão.
A ordem é de ataque!
Não abro mais mão,
sai da frente senão atropelo,
venho com a força de um canhão.
Sou guerreira e estou armada até o lombo,
minha arma tem munição,
são feitas de pétalas de rosas
vão bem certeiro no coração.
(SIMONE PRADO)

sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

Medos e incertezas de minha alma...


Eu não sei mais o que dizer da falta que sinto de você,
as palavras tem se ausentado de mim,
porque sua ausência me castiga sem dó.
Tenho tanto medo das emoções que me torturam a cada dia,
e me sinto tão sozinha e pequena demais.
As vezes penso como seria um dia inteiro ao seu lado,
acordar e ao abrir dos meus olhos ter seu rosto bem junto ao meu.
Poder esticar minhas mãos e tocar sua face e olhar bem dentro de seus olhos.
Tenho me cansado do sofrer, das noites vazias do meu ser e
tenho tanto medo de um dia acordar e não ver mais você
De não te achar mais em mim, nem em meio as minhas lembranças,
nem mesmo no meu jardim.
Não sentir mais seu perfume e te perder,
tenho tanto medo de deixar de amar você.
(Simone Prado)

eduardo maria nunes

Esta vida é como um carrossel,
Tantas voltas dá até parar
O pintor pinta com o pincel
Nas colmeias fabricam o mel
As abelhas num vai e vem sem parar.

Com a esperança continua a beleza!
Na vida tudo vale, na vida tudo acaba
Penso eu não tenho a certeza
Coisa doce não amarga,

terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

No fundo do seu olhar...



Lá estava você com aquele jeito de olhar,
onde fala sem palavras ao me fitar.
 Me acaricia sem me por as mãos,
com um brilho de adoração.


Olha bem dentro da minha alma,

como se baixinho me pedisse: calma!
Em meu peito meu coração derrete,
é um brilho que me diverte.


Eu suspiro bem fundo,

querendo em ti mergulhar,
me deliciar em seus lábios,
ao meus olhos fechar.


Mas choro sofrendo,

seu olhar vou querendo,
quando de mim ele vai embora,
queria gritar bem alto:
volte e me olha


(Simone Prado)

quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Entre razão e coração...

Diz ser mentira que não é desse jeito,
que o coração insatisfeito se saciou em você,
Diz não ser verdade que o amor nasceu de verdade,
onde não devia florescer.
Eu ainda avisei, mas você não quis me escutar,.
quando eu disse que não devia me olhar.
Eu ainda lutei, quando naquele dia eu chorei
quando na primeira despedida você comigo também chorou.
Nunca entendi o que foi que aconteceu, ainda não sabia ser isso o amor.
Tentamos fugir tantas vezes de não seguir o coração,
como adultos, tentamos escutar a razão.
Mas a razão tantas vezes foi papo furado que não convenceu o interior,
fugíamos quando queríamos nos perder de desejo,
embriagando entre nossos beijos e foi o que rolou.
Agora, mais uma vez tentamos ir embora sem a minima vontade de partir.
eu só queria deixar meu coração me conduzir.
Fico a esperar que você por um momento mande a razão sumir,
e viver o que nunca planejamos conseguir.
Eu encontrei o amor, no jardim árido da minha vida,
num solo desgastado em meio as feridas que um dia abandonei.
Olha amor, a semente que você deixou floresceu,
Agora não sei se é a ROSA OU SE SOU EU.
(SIMONE PRADO)


segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

VOLTE SEM DEMORA

Se você soubesse a falta que me faz viria correndo sem demora,
acalmaria as lágrimas de quem chora e nunca mais fosse embora.
Será, que como eu, sente tanta falta de nós dois?
 Num descompassado batimento ritmado de emoção.
A sua voz dizendo que ME AMA,
do seu olhar no rolar de uma cama,
querendo a mim se entregar.Sente falta dos nossos beijos e do barulho em nosso peito?

Palavras que não são necessárias na forma de tocar,
me deixando com ânsia de te querer mais presente,
sem que o adeus viesse me deixar.
Sabe aquele beijo na testa cheio de carinho?
Foi como um ninho no meu pousar,
segurança perfeita de quem só quer te amar.
(Simone Prado)

sábado, 25 de janeiro de 2014

GUERRA NÃO, apenas a luta interior...

Talvez eu não quisesse dizer o quanto sinto sua falta,
o quanto tento esquecer.
Tem dia que é tão simples e confortável me ocupar com outros pensamentos,
mas tantas vezes é tão difícil e oprimente, o aperto no peito o coração, que se espreme dentro de mim.
 A angustia transformada em tristeza da falta que me faz.
A tortura de me sentir assassina do AMOR, de repetir mil vezes que não posso sentir, que preciso esquecer...da tentativa vã de conhecer um outro alguém, mas sem a minima vontade e nem  incentivo de me apaixonar novamente. As vezes até me conformo de sozinha ficar por medo de sofrer.
Daquele sentimento que chegou tão manso, da não explicação de não conseguir entender o que aconteceu...logo comigo, me sentia experta e amadurecida pra não deixar acontecer e ter domínio sobre mim.
Não podia ter sentido nada, nem ter me aproximado,Como fui ser frágil assim?
O tempo tem passado, quantas vezes o ADEUS foi ensaiado, as tentativas de se apartar...e a certeza de não poder se arriscar.
Na altura da vida, melhor seria ficar como está, na comodidade de não ter que lutar...um soldado experiente sabe que não há guerra em algumas situações, é melhor deserdar sem argumentos de luta
 NÃO desistir, mas  entender que não HÁ LUTA  maior do que a luta interior. (Simone Prado)



terça-feira, 21 de janeiro de 2014

AMOR MADURO

Encontrei o amor onde nunca imaginava estar, nos gestos bruscos de quem não sabia pedir perdão, nos braços que mal sabiam abraçar, na boca que não sabia dizer palavras tão bonitas e  onde menos esperei, ali o amor encontrei e me perdi de amor....

Lembro do seu sorriso, do olhar inocente como menino num corpo maduro. Da Inocência que muitas vezes não teve intenção de machucar. Quantas vezes foi tão duro, tão rústico nas atitudes e me fez sofrer, mas eu sempre perdoava porque não entendia o por quê.


Hoje ainda lembro desse amor que deixou marcas, deixou semente e floresceu. Deixou presente que saiu de dentro de mim, na mistura genética dos nossos frutos.

 Como esquecer um amor assim? 
Que sobreviveu em meio a dor, em meio a saudade, em meio  a cumplicidade...(Simone Prado)


sábado, 18 de janeiro de 2014

Te procurei....

...entre a lua e as estrelas e você não estava lá...
...te procurei no céu entre os pássaros e não o vi voar...
...te procurei entre as flores do meu jardim...
...entre as cores, entre o perfume....lá também não te encontrei...
...te procurei no sol e não senti seu calor...
...e continuei a andar, procurando em cada olhar...
...talvez desapercebida não tivesse te visto passar entre a multidão...
...andei e andei...você não estava  lá...
...te procurei nas lembranças...nos sonhos...
...te procurei nas minhas lágrimas...
...te procurei em meio a poesia, nas palavras escritas e desenhadas...nas entrelinhas...
...andei....andei....não te encontrei...
...te procurei na essência...nos desejos inacabados....
...te procurei no mar...no vazio de minha alma....
...encontrei apenas a saudade zombando de mim...
...me senti humilhada dela sorrir assim...
...caminhei cabisbaixa em meio a solidão...
...não consegui levantar meus olhos...
...eu só fitava o chão.
...sem você sou perdida na imensidão...
...um  coração pela metade...em busca do NÃO...
...e me lembrei da " garota em chamas"...
....em meio as loucuras de amor...e meu coração se apertou... e chorei...
...porque te busquei e não te encontrei...
(Simone Prado)

sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

Decisões

Há momentos na vida que precisamos escolher,
nos surpreender,
nos renovar.
Deixar o que nos causa dor e recomeçar,
ainda que o desapego seja algo dificil,
o deixar ir para o novo entrar é preciso.
Que decisão tomar?
Deus nos dá livramentos e nos conduz há lugares altos.
é preciso saber confiar.
Os planos do Senhor são perfeitos na nossa vida,
é preciso deixá-lo trabalhar.
Ainda que muitas vezes não entendamos,
nem mesmo aceitamos, mas é preciso mudar .
(Simone Prado )


domingo, 12 de janeiro de 2014

No seu leito ...

Te vesti como uma roupa que adere ao corpo,
que aquece nos dias frios e refrigera no calor.
te vesti como uma segunda pele que me acaricia.

Você mudou meu mundo tão pequenino,
sem graça, me fez sentir o gosto do desejo,
do amor puro, do ensejo.

Mas no momento, nesse leito onde está, não posso sua mão segurar,
nem ser meu rosto a ver ao acordar, nem meus olhos fitar,
nem meu beijo sentir, lhe dando boas vindas por ao mundo sorrir.
Distante, sem poder escolher, se estar ao seu lado era tudo que eu desejei,
e a unica coisa que fiz foi sentar e orar, deixando minhas lágrimas minha face molhar.

Eu não escolhi te amar assim, não foi minha intenção em seu mundo penetrar,
foi sem querer. Não! Eu não queria sofrer!
Como é triste ter que deixar esse amor morrer dentro de mim,
e pedir a Deus que não faça assim esse sentir.
Por que foi germinar essa semente no meio de pedregais,
onde não tinha chances desse amor viver?.
Por que eu fui amar você.?
(Simone Prado)