quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

A LUA E A ROSA

ROSA: :EU FALEI PRO LUAR,
SUA OSTENTAÇÃO VEM ME OFUSCAR,
COM ESSE SEU BRILHO TÃO INTENSO,
DIVIDE-O COMIGO SÓ POR UM MOMENTO,
PARA TAMBÉM MERECER O OLHAR.
VOCÊ PODE VER O MUNDO DE CIMA,
ATRAIR OLHARES E SUSPIROS
QUANDO NO CÉU TE VEEM SURGIR.
OLHA EU AQUI EM BAIXO, TÃO PEQUENINA,
AS VEZES TÃO DESAPERCEBIDA NESSE JARDIM.

A LUA ME RESPONDEU:
TUDO BEM ROSA PERFUMADA,
COM VOCÊ ACEITO A DIVISÃO,
TAMBÉM POR UM MOMENTO QUERO SER ROSA
E PERFUMAR O CORAÇÃO.

ROSA: COM SEU BRILHO ENAMORADO,
OS CASAIS SE APAIXONAM,
PASSEIAM DE MÃOS DADAS,
A OLHAR PARA O´CÉU.

LUA: TAMBÉM COM SUA TEXTURA AVELUDADA,
É TU ROSA ENCANTADA A PRESENCIAR O AMOR,
TEM SUAS CORES DIVERSIFICADA,
EM SUA BELEZA DESLUMBRANTE,
QUE NÃO HÁ QUEM NÃO SE ENCANTE.

ROSA: ISSO É SIM, MAS VIVO POUCO TEMPO,
RECLAMAM DOS MEUS ESPINHOS,
ALGUNS RETIRAM MINHAS PÉTALAS PARA OUTROS ORNAMENTOS,
MAS MANTENHO MINHA BELEZA,
ATÉ QUE MURCHO POR NATUREZA,
E NO FIM VENHO A MORRER,
SE NA ROSEIRA NÃO TIVER RAIZADA,
SOU ROSA ACABADA A DESFALECER.

LUA: BOM, DISSO NÃO POSSO RECLAMAR,
MESMO QUE AS VEZES AS NUVENS VEM ME OFUSCAR,
E O TEMPO NUBLADO VENHA ESTAR,
MAIS DIA  E MENOS DIA LÁ ESTOU EU A BRILHAR.

ROSA:  NA VERDADE TEMOS JUNTAS UMA MISSÃO,
A DE ENCANTAR UM CORAÇÃO CADA UMA EM SUA FORMA DE SER.
MESMO QUE EU DESFALEÇA, EM MEU LUGAR, OUTRAS ROSAS VIRÃO A NASCER.
ENTÃO VAMOS DEIXAR DE BABOSEIRAS, VAMOS JUNTAS PASSEAR PELO JARDIM,
QUEM SABE NÃO ENCONTRAMOS UM CASAL DE ENAMORADOS QUE JUNTAS POSSAMOS ENCANTAR, VOCÊ DESLUMBRANTE EM SEU BRILHO A OFUSCAR.

LUA: VAMOS SIM MINHA AMIGA, DEIXAR DE QUERER NO LUGAR DA OUTRA ESTAR,
DEUS NOS FEZ EM CADA MISSÃO, ENTÃO VAMOS TRABALHAR.
(SIMONE PRADO)

quarta-feira, 30 de janeiro de 2013


VAZIO DE ALMAS

VAZIO DE PALAVRAS,
EM MEIO AO CAOS,
COMO FALAR DE POESIA?
COMO TIRAR DE NÓS PALAVRAS BONITAS?
ONDE A TRISTEZA É MUNDIAL,
ONDE O LUTO É REAL.
TALVEZ A POESIA DA ESPERANÇA.
TALVEZ PALAVRAS SEM SENTIDO.
NENHUMA TALVEZ CHEGUE AO NOSSOS OUVIDOS,
NÃO NO MESMO SENTIDO DE MUSICA,
SOMENTE DE SILÊNCIO,
RESPEITANDO ESSE MOMENTO,
RESPIRANDO A DOR DE NOSSA ALMA,
MERGULHADAS EM NÓS.
(Simone Prado)

segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Santa Maria/RS por Simone Prado

Quantas vezes temos vontade de ter o poder de voltar o minuto passado e agir diferente. Quando somos acometido  de grandes tragédias, no intimo desejamos que tivéssemos a chance de apagar e refazer tudo para ter impedido que tudo ocorresse. Vários são os pensamentos humanos: se de fato tudo estava escrito que teria que ser assim, se poderia ter sido evitado, se as vidas sobreviventes foram um mero acaso. Quem já passou ou viveu de alguma forma  algum momento desse na vida sabe como é, e quem não viveu vive no sentimento compartilhado de solidariedade. Qual pai e mãe não se colocou por um momento no lugar dessas famílias que nas últimas horas sofrem em Santa Maria /RS. Qual mãe não desejou ter impedido que seus filhos tivessem saído de casa naquela noite? Quantas vezes será necessário uma tragédia para os órgãos competentes fiscalizarem e fazerem seu serviço de forma correta. Quantos corações choram pelos filhos que já não vivem mais, sendo que quantas também de nossos jovens morrem em massa ao ano pelas drogas, pelos acidentes no transito e outras formas. FATALIDADES? Intervenção maligna? Mundo espiritual? Muitas são as crenças humanas! Na verdade tantas são as perguntas internas. Com o tempo vem o esquecimento até que de vez ou outra alguém relembre o fato , pra família a dor da saudade e vamos caminhando até que algum fato novo surja na mídia. Pra humanidade a sensação de estar vulnerável neste mundo, onde nada é sólido, somente a nossa FÉ, a nossa conformação, ou mesmo a nossa revolta interior. QUE DEUS VENHA NOS SUSTENTAR EM MAIS ESSA HORA DE TRAGÉDIA. (Simone Prado)


28/29 de janeiro de 2013

sábado, 26 de janeiro de 2013

Ontem....

Ontem foi um outro dia,
onde hoje já virou passado,
fazendo parte do livro já escrito,
das lembranças do que marcou.

Ontem já não faz diferença,
é apenas a semente plantada,
que hoje ainda não germinou.

Ontem pensei em você,
não somente ontem,
mas também hoje ao amanhecer.

Sei que amanhã hoje também será ontem,
quanto a isso nada poder fazer.

Ontem foi um sonho,
hoje já acordei,
desejando que no amanhã,
receba o beijo que ainda não dei.
(Simone Prado)

quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

No meio do caminho....???????????

No meio do caminho nos deparamos, nos atraímos, nos apoiamos...
trocamos idéias, dialogamos, e tentamos entender tantos por quês. 
No meio do caminho já somos amigos íntimos,
contamos histórias do passado e rimos as gargalhadas de coisas nem tão engraçadas.
Falamos de tudo um pouco, de coisas banais e de coisas sérias,
somos amigos assim se espera...mas no meio do caminho a conversa toma outra direção,
o que era sem intenção vira um papo profundo, o abraço de amizade já tem um Q de maldade saudável,
do querer ficar mais tempo, do querer até um beijo selinho, ou um beijo de verdade?
O que acontece no meio do caminho?
Onde os passos sem rumo,  passam a ser os passos do querer e do vir...tantas coisas acontecem no meio do caminho...aquele foco de antes, aqueles planos parecem se perderem no meio do caminho...já nem sei se continuo ou se espero...se vivo ou se deixo ficar...se arrisco perco o amigo, ou então ganho um amor.
No meio do caminho encontrei um ponto de  ? Onde vai dar?
 Sei não!
No meio do caminho te encontrei...pra você até postei...
Talvez no meio do caminho os passos se cruzem ou se afastem e digam ADEUS e cada um continue sua caminhada, pegando o rumo de uma outra estrada, onde os sonhos sejam refeitos e no meio do caminho não olhemos para trás nem lembremos das horas findas, das conversas intermináveis...das palavras de BOAS VINDAS.
(Simone Prado) 

quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

ONDE ESTARÁ A POESIA?

Deitei-me nos braços da poesia,
busquei a rosa em forma de versos,
entrei em escritas desconexas,
entrei em frases que não foram descobertas.

Procurei pela poesia nos becos da vida,
revirei papeladas,
fiquei até cansada de uma busca desenfreada.
Onde estará a POESIA?

Cantei em forma de prosa,
vasculhei em meio aos destroços,
achei beleza em meio ao caos,
onde está a poesia?

Talvez no semblante rasgado da minha alma,
onde no interior respiro fundo e peço CALMA.
Será poesia sobrevivente,
em meio a guerra dos viventes?

Eu falo em versos e rimas,
onde estará a POESIA MENINA?
(Simone Prado)


terça-feira, 22 de janeiro de 2013

Vida de cada um...

Vida passageira que as vezes demora tanto,
vida que traz alegria em plenitude, mas também o pranto.
Vida de garra, de raça, de gente,
vida dos lábios apagados e outras vezes tão contente.
Que vida é essa no interior da gente?
Ou então tão destemida cheia de energia,
outras apagada, verdadeira nostalgia.
Vida de amores perdidos, mal resolvidos e banais,
de sentimentos intensos e bem reais.
Vida de esquecimento fuga da sobrevivência,
vida de APAGÃO em meio as incertezas.
Que vida é essa?
Cheia de beleza e coisa feia?
Vida , vida ,vida...
(Simone Prado)


quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

Sou uma pessoa de dentro pra fora...


Tua beleza agora
Ela está em ti
Nunca a deites fora
Com ela te conheci!

Virtualmente, com certeza
Ao passar daquele lugar
O vi repleto de muita beleza
Tenho a certeza, não estava a sonhar!

Você em sonhos acredita
Em utopias não
Continua muito bonita
Dentro do teu peito guardas a coração!

Não se pode ver não
Só sentir o seu bater
Deixa colocar a minha mão
Porque o não posso ver!

Com a tua cara de menina
No teu rosto estou a ver
Já não és pequenina
Quem te mandou depressa crescer!

Agora que és crescida
Teu retrato estou a mirar
Acredita minha amiga
Gostei do teu poema comentar!
Edunames 
http://rimablogeutedouumaflor.blogspot.com.br/

terça-feira, 15 de janeiro de 2013

Carência

Sentimento nostálgico que nos debilita,
alcança até mesmo quem não acredita.
Traz com ela a chamada Solidão,
sentimentos que vão bem fundo do coração.
As vezes é tão secreta,
nos torna tão vulneráveis,
até nos sentirmos, carentes de nós mesmos.
É como cara de cão abandonado,
gato acariciando as nossas pernas,
arrepia alma  ora tão singela.
Carente de um afago, de um abraço,
de uma palavra somente,
ou um silêncio presente,
apenas a presença sustenta
um momento que parece até demência de si.
Carência, Carência, CARÊNCIA,
precisa suprir.
(Simone Prado)

sábado, 12 de janeiro de 2013

Sonho ou realidade?

Olhei para o horizonte, me deslumbrei com sua multicor,
bailei em meio as nuvens de algodão,
e me perdi no céu azul.
Era o sol mais lindo que eu podia  ter,
em meio aos seus raios me aquecer.
As gaivotas unidas,
cantando o raiar do dia num som estridente de pura alegria.
Era um novo dia,
cheio de expectativas de vida,
trazendo sonhos embora adormecidos,
o vento a balançar meu vestido.
Como num passe de mágica a brisa virou tempestade,
as árvores antes tão acolhedoras,
se transformaram em sombras assustadoras.
No céu tão límpido nuvens de chuva negras,
levando os sonhos e trazendo incertezas.
Troquei meu bailar em correria,
olhando para trás e temendo o dia que viria,
O horizonte era um sonho lindo,
que no amanhecer tive que acordar.
Mas sei que um dia,
novo amanhecer surgirá,
trazendo de volta minha alegria,
e juntos de mãos dadas ficar.
(Simone Prado)


sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

Sei lá...

Eu não quero mais prever,
quero deixar acontecer,
quero ser natural,
abandonar as coisas banais.
Quero encanto e magia,
quero o sorriso resplandecer,
quero ser encantada por você.
Quem é você que fala mansamente?
Quem é você que chega bem devagarinho,
meio sem jeito com receio de desagradar?
Quem é você que ainda acredita em amar?
Eu não vou te dizer NÃO,
quem sabe rouba meu coração,
e consegue conquistar,
o que para quem não merecia ofereci sem razão.
As coisas simplesmente acontecem, não vou firmar,
apenas fico esperando pra ver o que vai dar.
Vai, me dá um sorriso,
deixa-me te ver,
quem sabe bem no fundo de seus olhos,
eu me veja em você.
(Simone Prado\)

sábado, 5 de janeiro de 2013

Meu mundo.


Meu mundo é uma melodia,
é um ritmo de alegria na esperança do viver,
das coisas esperadas dentro de meu ser.
Meu mundo que em alguns momentos fora negro,
agora é como o sol a brilhar numa chama intensa.
Meu mundo uma eterna conquista de mim,
adoro estar comigo e me sentir assim,
cheia de graça,
vendo tudo que passa,
e me deixando levar,
na esperança,
do eterno viver.
Sendo hoje melhor do que já fui ontem,
e querendo a cada dia mais aprender.
Meu mundo, já foi tão vazio,
agora tão cheio de mim,
do que antes parecia ser o FIM.
Hoje tenho tanto do que me cerca,
faço sempre novas descobertas,
e curto minha companhia,
quero estar comigo e bailar todos os dias.
(Simone Prado)

sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

Quantas vezes...

Quantas vezes preciso de um afago, de estar em seus braços e de sentir um pouco de seu calor.
Quantas vezes queria ser o centro de sua atenção, do seu mundo, do seu coração.
Queria ser maior que seus problemas pra ocupar sua mente.
Queria ser presente e ÚNICA como diz ser em você.
Mas sempre me deixa em segundo plano e diz ser pra não me aborrecer.
Mergulha em si mesmo me deixando do lado de fora,
tantas vezes se isola mergulhado em seus problemas pessoais.
Isso é me poupar? Não quer viver a reclamar...
Mas pior é ficar sozinho e com os botões falar.
Não entendo esse lado egoísta que não prioriza quem só quer compartilhar,
pensa que estou somente para a boa hora e não quer incomodar.
As vezes pensamos ter conquistado e esquecemos de cuidar,
um dia talvez olhe para seu lado e lá não mais vou estar.
Paciência tem limite e posso me cansar.
(Simone Prado)



terça-feira, 1 de janeiro de 2013

Eu deveria mais ou menos...




Eu deveria amar mais, perdoar mais,
se grilar menos, me estressar quase nada.
Eu deveria olhar os detalhes das coisas,
fechar os olhos para as outras que não me acrescentam nada.
Eu deveria ter a sabedoria dos sábios em escutar mais e falar menos,
ter mais atitude do que apenas planejar.
Ah, eu deveria apenas sorrir ao invés de chorar.
Eu deveria cantar ao invés de criticar os atos alheios,
deveria beijar mais, acompanhado de um abraço,
eu deveria fazer mais afagos...
Eu deveria dar asas meus sonhos,
que tento esquecer tantas vezes,
eu deveria não dar tantos créditos,
para as coisas que tiram minha PAZ. 
Eu deveria ter estima sempre pra cima,
ser a melhor mãe, e mulher,
eu deveria tirar as pedras do meu pé.
Mas vou apenas levando essa vida sem dar chutes por aí,
já chutei tanto que até machuquei meu pé.
Hoje vou dançando conforme algumas musicas,
aprendendo novos ritmos e até o que para mim era ideia absurda,
mas vou por ai, tentando fazer certo errando quase tudo,
mas apenas sendo eu mesma e não a PERFEIÇÃO.
(Simone Prado)