terça-feira, 26 de novembro de 2013

Renuncia do que restou...




Apenas lembranças do que podia ter sido,
embora hoje olhando não parece o sonho tão bonito,
o que pra trás ficou.
Embora fosse amor,
fosse a queimar,
um fogo avassalador.

Agora é respirar fundo e olhar pra frente,
esperando que não aconteça novamente,
A RECAÍDA entre nós dois.
O que não tem que ser que fique de uma só vez,
pra não haver dores futuras,
nem desencavar algumas amarguras, que já se perdoou.

Vai, vai livre ser feliz!
Que o que vivemos seja apenas uma doce lembrança.
Vai, vai feliz! Sem culpas e nem amargor,
vai ser feliz a quem um dia chamei de AMOR.
(Simone Prado)

4 comentários:

  1. O perdão é meio caminho para a cura...
    Beijinho, uma doce semana
    Ruthia d'O Berço do Mundo

    ResponderExcluir
  2. Nossa Si... que poema lindo !
    Um dos melhores que já escreveu.

    Beijos em seu coração amiga, já estou com saudades !

    ResponderExcluir
  3. O amor nos impele a subir cada vez mais alto, e quando não sentirmos mais magoa nenhuma, estaremos diante dele, do amor! abraços

    ResponderExcluir
  4. Renuncia do que restou...
    Que tenha sido o melhor
    Não se cansa quem esperou
    Para receber uma flor.

    Neste jardim ela ficou
    Não sei por quem esperando
    Já foi embora e voltou
    O jardineiro ela está amando!

    À procura dela eu venho
    Da planta a quero colher
    Para ela fiquei olhando
    De mim não quer saber!

    A resposta esperando
    Voltarei noutra hora
    Triste, não chorando
    Vou embora!

    Boa noite para ti amiga
    Simone Pado, um beijo
    Eduardo.

    ResponderExcluir