sábado, 13 de julho de 2013

Coisa passageira...

Não quero adimitir a falta que você faz em mim,
aquele gosto da saudade que chega sem pedir licença,
arrancando gemidos e suspiros.
Não quero adimitir que não estava em meus planos,
o meu interesse momentâneo mesmo que sei que não vá ficar.
Sei que é coisa passageira, que a despedida é bem real,
não tenho petenção de achar que serei tão importante em sua vida.
É verdade! Nela não há lugar pra mim.
Mas, o que posso fazer?
Se nesse momento bem forte é você em mim
Sei que a dor mais cedo ou mais tarde virá,
mas não se tem o que se culpar, pois posso muito bem entender.
A solidão sempre é minha companheira,
e quantas vezes preferi bem assim,
sei que não devia ter deixado você se acercar de mim.
Mas essas coisas acontecem, assim como se fez também se desfaz,
é somente olharmos pra frente e não se voltar pra trás.
(Smone Prado)

Nenhum comentário:

Postar um comentário