segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Chutando o balde

Tem dia que vamos levando bem, mas tem hora que não dá pra entender.
Vontade de largar as causas; deixar engordar pra lá, comer tudo que se tem vontade e direito, falar palavras que se tem vontade de dizer, mas que é errado. O que vão pensar de você? O que vão dizer? Vontade de vestir as roupas que não visto, gritar quando sentir raiva, chorar para que todos veem quando estiver triste, sem ter que dizer o por quê e nem me esconder. Vontade de chutar o balde nas coisas que me incomodam, arrumar casa quando sentir vontade, não fazer nada mais por obrigação. Dizer Não! Eu não quero e não vou fazer. Sair sem saber onde ir, caminhando sem destino e nem direção, sem hora pra voltar, nem dia e nem ano. Não se preocupar com as contas a pagar, nem com o que se pode receber, não pensar se tenho obrigações...queria voltar por um dia a ser criança, não crescer nas decisões. Não ser obrigada a querer quem me quer, nem amar quem me ama. Não ser quase sempre sorridente e nem tão educadamente...hora dane-se com regras, com princípios básicos de etiqueta. Depois eu voltaria, esqueceria provavelmente esse dia, mas me lembraria que um dia fui livre.
(Simone Prado)

6 comentários:

  1. Há dias assim...E é preciso extravasar!! beijos,chica

    ResponderExcluir
  2. Concordo,eu acredito que isso já aconteceu com muitas e muitas pessoas, ás vezes as coisas nos sufocam de tal maneira, que pensamentos de liberdade vem em nossa mente. Amei seu poema. Bjs! Fernanda Oliveira

    ResponderExcluir
  3. Oii amiga, isso acontece com todos nós um dia ou outro, chutar o balde tbém faz parte dos processos de mudança! Bjoooss e Fique Bem!

    ResponderExcluir
  4. Chutando o balde
    Para as nuvens visitar
    Quase ao fim da tarde
    Chovia sem parar!

    Imagino eu
    Mas não sei se porventura
    Se o balde pontapeado encheu
    E se a chover ainda continua!

    Pela rua aos pontapés
    E o balde a voar
    Tenha cuidado com os pés
    Para os não magoar!

    Mas o que é
    Que não dá para entender
    Tenha esperança e fé
    Para o que deseja acontecer!

    O pobre balde a olhar
    Me deu vontade de rir
    Tantos pontapés levar
    Lá no ar, no chão não cair!

    Coitado do balde
    Que mal terá ele feito
    Talvez sem arte
    Não seja perfeito!

    Boa noite para você,
    amiga Simone Pardo,e bons sonhos,
    um bjo
    Eduardo

    ResponderExcluir
  5. Simone, acredito que esse texto foi já um pequeno chuto no balde, não? Não se sentiu um pouco liberta quando o postou?

    Um beijinho e uma semana leve
    Ruthia
    http://bercodomundo.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  6. E chutar o balde faz tão bem! Entendo seu texto,e no fundo acho que todos sentem isso! abraços

    ResponderExcluir