terça-feira, 28 de agosto de 2012

Assim como a brisa...

Eu tentei esconder minha face pra não te olhar,
sufocar meu coração pra não te amar.
Eu tentei fingir o brilho dos meus olhos ao te ver,
tentei sufocar você.
Eu tentei correr sete léguas sem olhar pra trás,
sacudir minha cabeça do transe que me cegou,
eu tentei fugir desse amor, tentei esconder minha dor.
A saudade quase me enlouqueceu, já não sabia ser você ou eu.
Hoje já não tento fugir, já me acostumei com você dentro de mim,
já faz parte dos meus dias, das minhas angustias e minhas alegrias,
já não sei te esquecer.
Mas olho para meu lado! Na matéria não vejo você!
Talvez você seja como o vento, não o vejo, mas o posso sentir,
sinto sua brisa tocar minha face e me acariciar.
Mas quando tento te tocar, você já partiu e nem se despediu.


(Simone Prado)

11 comentários:

  1. Sempre um lindo poema aqui.Parabéns poetisa.

    ResponderExcluir
  2. "Assim como a brisa!"
    Adorei!
    "Talvez seja como o vento, sinto*...mas não o vejo(?
    Me deixaste pensando...
    Já vivi algo assim: "é doce, mas frustrante.
    Beijinho, eu amo teus poemas, pois saem do coração* da vida real, sem versos rebuscados demais; eu vejo assim.

    ResponderExcluir
  3. A poesia e essência, lado a lado!
    Parabéns!

    Uma abençoada terça-feira.
    Forte abraço.
    Tati.

    http://tatian-esalles.blogspot.com.br/

    Att.

    ResponderExcluir
  4. Você sempre escreve bonitas poesias...Esta é linda.
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Assim como a brisa
    Que vai e volta
    Não fica aborrecida
    Se demorar abrir a porta!

    Molha os pés na água salgada
    Quando encontrar lugar certo
    Fica algum tempo na areia deitada!

    Já estará a habituada
    Não se importa de esperar
    Se levanta de madrugada
    Para com seu amor se encontrar!

    De saudades quase enlouqueceu
    Por isso parece muito triste estar
    Se deitou na areia e adormeceu
    Seu lindo porco quase queimar!

    Apanhou um escaldão
    Seu corpo bronzeado ficou
    Encontrada paz em seu coração
    Valeu a pena todo o tempo que esperou?

    Boa terça-feira para você,
    um bjo
    Eduardo.

    ResponderExcluir
  6. Oii amiga, muito lindo, algumas pessoas são como o vento mesmo! Bjoooss

    ResponderExcluir
  7. Olááá Simone, que lindooo seu poema, muito intenso. Bjs! Fernanda Oliveira

    ResponderExcluir
  8. Hermosas letras e imagen! Es placer leerte, te dejo un fuerte abrazo, bonita noche.

    ResponderExcluir
  9. Por algum motivo que desconhece o coração não deixa esquecer, e´como se as lembranças fizessem parte do dia a dia e no decorrer da vida aos poucos se apagam de nós, para outras lembranças e outros amores chegarem. Lindo, bj e bom dia!!!

    ResponderExcluir
  10. Belíssimo seu poema... ah...fazer o que se a amor invade, mesmo que nos escape pelas mãos, tal qual vento...
    Bom dia amiga, beijos,
    Valéria

    ResponderExcluir
  11. Boa tarde Simone
    Lindo e delicado poema. As vezes o amor nos escapa pelas mãos. você, é uma destas pessoas especiais,
    Por sua sensibilidade, sua atenção e seu carinho
    Que Deus continue iluminando você.
    Obrigado por fazer parte de minha vida
    Mesmo que no mundo virtual! bjs
    Ana Brisa

    ResponderExcluir