terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

A DOR DO SILÊNCIO

No silêncio encontrei minha dor,
no som do vento que já não me tocava,
no perfume que já não exalou,
do Jasmim que um dia me encantou.
A sua formosura perdeu-se o brilho,
nos tropeços de  uma caminhada agora um tanto vazia.
Em meio a ausência de suas palavras me perdi em meio ao silêncio,
sinto o ar parado que me asfixia roubando de mim a beleza do olhar.
Me calei! Me calei!
Num silêncio mudo de lutar,
esperando que um dia através de seus olhos
o sol voltasse a brilhar.
(Simone Prado)

6 comentários:

  1. Perfeito..super beijo querida..que estejas bem--

    ResponderExcluir
  2. Não fique calada,continue a falar,
    Não tropece em sua caminhada
    Não deixe que lhe roubem a beleza do olhar
    De sua formosura flor perfumada!

    Desejo uma noite muito feliz para você.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  3. Querida amiga

    No silêncio
    esperamos tanto...

    Palavras...
    Retornos...
    Impossíveis...


    Que sempre existam
    sonhos a habitar teu coração.

    ResponderExcluir
  4. Fique bem, procure o bem estar porque o seu poema é de uma linda melancolia. Um abraço, Yayá.

    ResponderExcluir
  5. No silêncio há de encontrar uma forma de tudo brilhar novamente,
    persevere, não desista,
    até o dia em que o perfume e a luz voltará a brilhar...
    mesmo em meio ao silêncio....
    Abraços
    Giovanna

    ResponderExcluir