terça-feira, 4 de outubro de 2011

UM GOSTO AMARGO


NA BOCA,
NO PEITO,
QUANDO O SENTIMENTO É DESFEITO,
QUANDO NÃO SE TEM MAIS JEITO.


GOSTO DE FEL,
QUISERA PUDESSE SER MEL,
PRIMEIRO A REVOLTA,
O TRANCAR DE PORTAS,
DEPOIS A RAZÃO,
A CONFORMAÇÃO.


PUDERAS TER SIDO ,
AGORA APENAS UMA LEMBRANÇA,
O TEMPO HÁ DE CURAR,
O QUE AGORA VEIO AMARGAR.

6 comentários:

  1. Um beijo na boca
    Um abraço no peito
    Uma saudade louca
    Sentimento perfeito
    Lábios de mel
    Quisera beijar
    Com sabor a fel nem pensar
    Perdoar as mágoas sofridas
    Com um beijo gostoso
    Ajuda a sarar as feridas?
    Num ambiente harmonioso

    Desejo para você, Simone Prado
    Uma noite, cujo sabor seja doce
    e não amargo.
    Um beijo
    Eduardo.

    ResponderExcluir
  2. Olá, amiga. Estou aqui retribuindo todo carinho da sua visita que muito me alegra... Obrigada pelos elogios, pois não sei se mereço tanto. Simone, o blog está lindo, belos poemas! Sabe amiga no final tudo se torna amargo. Decepção, mágoa. Nada como o tempo para curar! Olha, gostei do seu novo perfil está linda! Bjos com carinho..

    ResponderExcluir
  3. Simone,
    a conformação é o primeiro passo, já começa a deixa o fel um pouco doce, mas somente um novo amor fara a química da transformação em mel novamente,.... e novamente.
    Beijos :)

    ResponderExcluir
  4. Lindo..amei ..bj qerida e uma boa noite.

    ResponderExcluir
  5. O que não teve forças para ficar, no mundo real, mantendo a satisfação, acaba virando lembrança. E com o tempo, desaparece, substituída por outra, mais aconchegante.

    Bjs.

    ResponderExcluir
  6. E se tornará doce
    A medida do mel
    Saciado o desejo
    Sentirá o beijo
    Que já não é mais fel

    O amargo da boca
    Que já não mais existirá
    Será de tanto amor
    Que não haverá mais dor
    Que em seu peito residirá.

    Beijo na alma ! :)

    ResponderExcluir