quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Diálogo




Diálogo pra mim é ser mais importante do que o "EU TE AMO".
É a maior prova de amor que alguém pode dar.
A atenção dispensada o saber ouvir e saber falar.
Não falo daquele diálogo de discutir relação, nãoooooooo esse não.
Geralmente os dois lados tem seus defeitos, sei que é importante apontar certas falhas,
mas se tiver diálogo diário, esse sim tudo se resolve da forma que surge e não se arrasta para depois virar discussão  com  acusações e ofensas.
Ah! Que saudades de sentar pra conversar, sem presa de acabar.
Talvez isso não venha mais encontrar. Será?
Vamos indo com tanta pressa que esquecemos de dar valor ao Diáolgo
Diálogo é você dizer no silêncio do saber ouvir,
é olhar um para o outro numa mútua compreensão,
é dizer em outras palavras: ei estou aqui.
Não é se omitir o dia todo e a noite querer fazer amor. Que amor?
Mas cada um com seu cada um. Tem casais que gostam de dialogar depois de se amarem.
Alguns antes. Devemos descobrir as preferencias um do outro em relação a dialogar.
Eu não gosto de conversar na cama quando estou com sono, fico irada. Pois nessa hora o diálogo vem meu sono espantar. Mas no decorrer do dia, juntinhos na cozinha preparando juntos alguma refeição, acho um charme dialogar. É tudo de bom.


Se todos pudéssemos saber o valor dessa palavrinha mágica, muitos problemas iríamos resolver. Triste que a maioria das pessoas só querem se esconder e o diálogo não deixam acontecer. Chegamos a terminar a relação, porque o diálogo não houve não...adoro um diálogo com alguém que acho inteligente, mesmo que não seja verdade....rsrsrsr...

6 comentários:

  1. Oi Simone,

    Sábias considerações.

    Diáologo é mesmo a forma mais sábia de pavimentar a estrada do coração.

    Ótima 4ª!

    ResponderExcluir
  2. Simoninha linda.
    Infelizmente é difícil encontrar um diálogo desses hoje em dia. Hoje é só julgamento. O tal de enfiar o dedo na cara do outro e apontar o que se fez de errado e que por isso prejudicou a relação dos dois. Aquele lance: Aculpa do nosso fracasso é toda sua!!! Eu batalho todo dia pra ter esse diálogo que você disse na sua postagem. Tomar um sorvete no parque debaixo da árvore e ficar contando bobagens. Beijos e boa quarta.

    ResponderExcluir
  3. Oi Simone!
    Uma relação, seja ela de que natureza for, só se sustenta se tiver diálogo - dos mais sérios aos mais tolos. Pode ser uma conversa boba, daquela jogada fora, mas se temos prazer nesse momento, temos o tempero e o termômetro desse relacionamento.
    Bjos

    ResponderExcluir
  4. Simone,

    Sem diálogo, partilha e cumplicidade nenhuma relação amorosa sobrevive!

    Beijos!
    AL

    ResponderExcluir
  5. Olá, desculpe invadir seu espaço assim sem avisar. Meu nome é Nayara e cheguei até vc através do Blog Recomeçar. Bom, tanta ousadia minha é para convidar vc pra seguir um blog do meu amigo Fabrício, que eu acho super interessante, a Narroterapia. Sabe como é, né? Quem escreve precisa de outro alguém do outro lado. Além disso, sinceramente gostei do seu comentário e do comentário de outras pessoas. A Narroterapia está se aprimorando, e com os comentários sinceros podemos nos nortear melhor. Divulgar não é tb nenhuma heresia, haja vista que no meio literário isso faz diferença na distribuição de um livro. Muitos autores divulgam seu trabalho até na televisão. Escrever é possível, divulgar é preciso! (rs) Dei uma linda no seu texto, vou continuar passando por aqui...rs





    Narroterapia:

    Uma terapia pra quem gosta de escrever. Assim é a narroterapia. São narrativas de fatos e sentimentos. Palavras sem nome, tímidas, nunca saíram de dentro, sempre morreram na garganta. Palavras com almas de puta que pelo menos enrubescem como as prostitutas de Doistoéviski, certamente um alívio para o pensamento, o mais arisco dos animais.



    Espero que vc aceite meu convite e siga meu blog, será um prazer ver seu rosto ali.

    http://narroterapia.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. Amar é um todo complexo, mas que se pode resumir no verbo SENTIR...

    ResponderExcluir