terça-feira, 25 de outubro de 2011

CARÊNCIA




A carência gera a expectativa e esta leva a decepção. As pessoas querem resolver a decepção, mas na realidade deveriam ter seus olhos voltados a resolver suas carências.
Qualquer tipo de carência gera um disturbio. Pense em termos fisiológicos, se seu corpo ficar muito tempo sem um determinado nutriente isso irá gerar algum tipo de disturbio.
Se pudêssemos comparar relacionamentos afetivos a alimentação, poderiamos fazer a seguinte analogia: se você estiver com muita fome qualquer comida irá servir, quanto mais bem alimentado estiver mais seletivo você será para escolher os melhores alimentos para seu corpo.
Da mesma forma é com os relacionamentos afetivos. Quanto mais carente de atenção, carinho, tato, etc. Menos seletivo você estará e pronto para aceitar comer um rollmops ao invés de algo balanceado.
A carência irá atirar ao chão a sua capacidade seletiva. E como resolver? Você irá precisar resolver questões internas suas. Pois foi você que escolheu ficar carente. Sim, assim como foi você que escolhe comer só bobagem ao invés de almoçar direito.
Timidez e medos são as coisas que estão no topo da lista de motivos que nos  privam de carinho e afeto. Como seria uma irresponsabilidade dizer faça A+B+C para resolver, só posso dar uma indicação genérica de estudar seu comportamento para entender quais medos você está escondendo através de suas atitudes.
No fundo as pessoas só estão se protegendo. Do que, é a 
questão primordial de entender.


Esse texto não foi escrito por mim, o escolhi porque achei muito interessante a forma de comparação alimentar

O autor  está nesse link abaixo: MARCO DE CARVALHO
http://swasthya.marcocarvalho.com/carencia-estraga-tudo/



10 comentários:

  1. E eu que vinha pedir desculpa pela ausência deparo-me com este belíssimo texto!
    Escolha perfeita, otimo assunto para refletir!
    Um beijo e meus parabéns

    ResponderExcluir
  2. Realmente Sonia.. em momento desse devemos ter o cuidado redobrado.. parece até que quando nos encontramos carentes o cérebro não funciona :)

    Beijokas super em seu coração..
    Verinha

    ResponderExcluir
  3. mistura explosiva...uma reacção em cadeia..bj querida saudades bj.

    ResponderExcluir
  4. Pois é... Carência estraga tudo! O problema é exatamente isso, um sentimento puxa outro e outro... E basta dizer que carência não é boa conselheira pra ninguém!
    Beijokas doces querida e boa semana.

    ResponderExcluir
  5. Um texto demasiadamente importante nos tempos que correm.
    Além disso muito bem escrito e com imagens/comparações que o tornam completamente explícito.
    Parabéns.

    ResponderExcluir
  6. Minha querida

    Como este texto fala verdade...a carência de afectos por vezes leva a labirintos sem saída e procurar de afecto sem olhar a quem.

    Deixo um beijinho com carinho
    Sonhadora

    ResponderExcluir
  7. OI SIMONE!
    CARENTE, UM SENTIMENTO QUE DESTRÓI,PORQUE QUEM O É, ESQUECE DE SEUS VALORES PRÓPRIOS, E SE LIGA NOS DOS OUTROS, QUE SÓ SÃO DIFERENTE DOS SEUS,PORQUE TODOS OS TEM.
    http://zilanicelia.blogspot.com/
    abrçs

    ResponderExcluir
  8. OI Simone,

    Com certeza, a carência faz com que sejamos menos seletivos, daí o risco de fazermos escolhas erradas. É como se fossemos ao mercado estando com fome.Então, compramos tudo o que vem pela frente na ânsia de saciar a fome.
    ^.^
    Beijos, querida

    ResponderExcluir
  9. Carências podem ser várias
    E por vezes causar
    Sofrimento e revolta
    Elas são diárias
    Entram em casa sem avisar
    Passam por qualquer porta
    Sem dizer que vão entrar
    Não é fácil o meio descobrir
    Para as poder eliminar
    O melhor será sorrir
    Se o conseguir, sem chorar
    Dizer não custa, com fazer
    Teremos que nos habituar
    Com elas continuar a viver
    Até que a morte delas nos separar!
    Amiga é complicado?

    Desejo para você, um bom dia de quarta-feira
    Aqui, hoje, temos muita chuva.
    Um beijo
    Eduardo.

    ResponderExcluir
  10. rsss ainda tô devorando o brigadeiro...rsss é difícil mesmo, mas vamos adiante, não é possível que a minha carência não tenha fim.

    ResponderExcluir