terça-feira, 6 de setembro de 2011

A vida passa lá fora


Fico da janela a espreitar,
olhando o horizonte perdido,
querendo te encontrar.


Vejo o brilho do sol,
seus raios pelas frestas tentam entrar,
seu calor pelo vidro quer me aquecer,
mas meu coração parece gelo
aqui sem você.


É como uma bala dado a uma criança
que de tão pequenina não pode retirar o papel.
Nos meus lábios a boca fica ávida,
a saliva como a buscar,
o seu gosto.
No entanto,
permanece o gosto amargo na boca,
o aperto na garganta,
me faltando o ar,
vejo o meu meu lado vazio,
olho pela janela,
lá você também não está.

5 comentários:

  1. A desilusão amorosa a embelezar o seu poema! Bjs

    ResponderExcluir
  2. A VIDA se passa lá fora e também dento de nós...
    Principalmente dentro de nós...
    lindas palavras.
    Abraços

    ResponderExcluir
  3. Lembrei de uma música, " a vida passa lá fora, e já não é tudo tão lindo, se ele não está". Seu post é belo, apesar da solidão presente nele.
    Beijos querida!

    ResponderExcluir
  4. Bonito poema, apesar de um pouco tristinho. Ah, bela imagem da moça à janela a contemplar os mistérios da noite.
    Um grande abraço. Tenhas uma linda tarde.

    ResponderExcluir
  5. Simone..adorei vou levar..super beijo querida..

    ResponderExcluir