quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Sonhos diários.

Meus sonhos já não tem as mesmas perspectivas de antes,
não possuem as mesmas cores e nem os mesmos sabores,
já não estão nas alturas e nem tem gosto de mel.
Hoje meus sonhos são apenas documentários diários
do que pode ser o hoje.
Apenas um sonho de cada vez,
sem fantasias.
Talvez uma realidade mais dura e fria,
mas ainda assim te tenho por hoje.
Talvez as palavras já não causem o mesmo impacto diante da realidade,
mas ainda são palavras de uma vaga esperança que não se finda.
O sentimento amadureceu, a dor ainda é profunda como uma ferida que sangra.
Ainda fazemos planos juntos mas bem no íntimo sabemos que o amanhã pode nunca chegar pra nós dois.
É como uma lampada que se acende todos os dias para clarear as noites escuras,
mas quando surge o dia precisa se apagar.
Não se sabe onde vamos e se juntos,
mas ainda estamos aqui.

6 comentários:

  1. Um poema lindo, mas um pouco nostálgico, os sonhos também vão, de facto, amadurecendo, mas não se devem perder nunca nas malhas do destino! Bjs

    ResponderExcluir
  2. Eu uso as mesmas palavras da amiga acima. Mas o seu poema ficou lindo. Bjos.

    ResponderExcluir
  3. Ola, Simone. Profundo! melancólico. São sonhos e nuca podemos dsistir dele. A nossa vida é um constante sonhar! Mesmo que a dor e a tristeza tente nos derrubar, temos que seguir. Querida amiga bjo grande no seu coração e viva sempre bons momentos!

    ResponderExcluir
  4. Agente cresce...aprende se transforma..bj querida boa noite...

    ResponderExcluir
  5. Os sonhos amadurecem, mas nao acabam. Os projetos se transformam, isso é verdade, mudam o rumo, as prioridades...
    Do amanhã, só Deus para saber, pois as pedras mudam de lugar!
    Beijokas doces

    ResponderExcluir