sábado, 2 de julho de 2011

NO SILÊNCIO DE MINHA ALMA


NO SILÊNCIO DE MINHA ALMA ME QUIETO,
FICAR EM SILÊNCIO  EU ME APRESSO,
NO SOM SUAVE DA NATUREZA A ME EMBALAR.
QUERO O CANTAR DOS PÁSSAROS,
O BARULHO DOS RIOS,
O CÉU  TRANQÜILO,
DISSO EU PRECISO.
QUERO A ALMA A BAILAR,
QUERO NO BRILHO DE SEU OLHAR,
ME ENXERGAR BEM FUNDO,
NO MAIS PROFUNDO DO MAR.
QUERO SENTIR SEUS LÁBIOS NOS MEUS,
NUM TOQUE SILENCIOSO DE QUEM SÓ QUER AMAR.

Nenhum comentário:

Postar um comentário