quinta-feira, 16 de junho de 2011

Liberdade de escolhas


Sou o que sou, sujeita à mudanças.
Sou livre em minhas escolhas, mas muitas vezes não as posso escolher.
Tem momentos que não é a hora e nem o tempo,
procuro escapes, rodeio até encontrar um orifício que eu possa penetrar.
Muitos pensam que se conhecem, mas nosso cérebro é uma caixinha de surpresas,
passamos toda a vida em busca de nós mesmos.
Meu corpo e minha própria mente são como bússola a me guiar,
se aprendemos a entender a linguagem deles talvez erramos menos.
Nossos atos e reflexos são sinais se estamos bem ou não.
Nosso tom de voz, nossa forma de falar, falamos expressando o que há em nosso coração e interior.
Ninguém consegue ser totalmente encoberto que se esconda em todo o tempo.
Se prestássemos mais a atenção nas pessoas não nos enganaríamos tanto,
 e mesmo assim nos surpreendemos com elas.
Tenho liberdade de escolhas, nunca é tarde para refazer os planos,
de se consertar, de mudar trajetórias e rotas,
NUNCA É TARDE PARA RECOMEÇAR.

Nenhum comentário:

Postar um comentário