segunda-feira, 4 de abril de 2011

SILÊNCIO DE UMA SOLIDÃO

QUANDO O SILÊNCIO INSISTE EM NOS CALAR,
QUANDO OLHO PARA O LADO E A SOLIDÃO É MEU PAR.
QUANDO DENTRO DE MIM O GRITO QUE NÃO DEI SE SILENCIA,
QUANDO PARECE QUE AS FORÇAS NÃO EXISTEM MAIS.
QUANDO OS ERROS JÁ NÃO FAZEM MAIS SENTIDO E
OS ACERTOS NÃO FAZEM A MAIOR DIFERENÇA.
QUANDO A ALMA CULPADA, CANSADA, PRECISA DE PAZ,
DE NÃO ENCONTRAR MAIS PALAVRA QUE O SATISFAZ.
APENAS UM ACENO TRISTE DIZENDO ADEUS,
SEM QUERER PENSAR NO QUE FOI OU SE PASSOU.
SEM O ÚLTIMO OLHAR DE DESPEDIDA E SEM PLANOS FUTUROS,
APENAS UM FICAR AQUI...

Nenhum comentário:

Postar um comentário