domingo, 10 de abril de 2011

no silêncio de uma vida

ME SINTO PERDIDA,
DE CERTO PRECISO ME ENCONTRAR,
UM PORTO SEGURO PARA ATRACAR.

PERDI O QUE ME CRIARAM,
PERDI O QUE DESEJARAM
E NEM SE QUER ME PERGUNTARAM,
SE QUERIA ASSIM.

PERDI MINHA VONTADE,
ACHANDO FAZER A VERDADE
MAS NÃO FOI BEM ASSIM.

NA SOLIDÃO E NO SILÊNCIO DE MINHA VIDA,
ANDEI EM ESTRADAS VAZIAS,
QUASE OPRIMIDAS,
MAS TAMBÉM ENCONTREI COISAS PERDIDAS,
E AS AVALIEI.

SOU O QUE SOU,
O QUE A VIDA ME FEZ,
ME VI LIVRE DO MEU AMARGOR,
DOS MEUS DESABORES, DOS MEUS DESAMORES.

HOJE UMA ESPERANÇA REVIVE DO MEU INTERIOR,
DE DESABROCHAR COMO UMA FLOR,
E VOLTAR A AMAR.

Um comentário:

  1. Ulálá, que bom que desejamos sempre recomeçar, voltar a amar, e nunca abandonar a idéia de sermos felizes, parabens amiga , beijos

    ResponderExcluir