quarta-feira, 30 de março de 2011

Infância.

As vezes me lembro daquela menina indefesa,
que em tudo via beleza,
só queria brincar.

Brincava de amarelinha,
de cirandinha,
de pega-pega,
até de esconde e esconde.

Sorria do nada,
em tudo achava graça,
até mesmo do simples imaginar.

Pensava em tantas coisas ser,
aeromoça, escritora, secretária,
atriz, esposa, mãe, mulher...

Olhava para um futuro tão distante,

parecia que o tempo corria para nunca chegar.

Cadê aquela menina que sorria?
Correndo percorria pra um caminho alcançar.
Socorria pássaros feridos,
colhia legumes escondidos  e com a terra queria brincar.

Sentia prazer no que muitos achariam tão pouco,
mas que da infância querida  teve que acordar.

Um comentário:

  1. Essa menina ainda existe bem dentro de você, coloque pra fora essa menina sapeca que só queria brincar, deixa ela aparecer de vez enquando em seu dia a dia, e ela só lhe trará alegria, viva! bj

    ResponderExcluir